Archive for May, 2009

ONE MAN BAND

Posted in Dirty Sheep Loves it! with tags , , on May 20, 2009 by gugagessullo

 scott

  

Foi segunda-feira, feriado aqui. Saimos para dar uma volta de bike e paramos na frente do metro Mont-Royal. E la no patio que da de frente pro metro, estava Scott Dunbar, sentado com uma sanfona na mao, uma mala azul que usava como bateria e uma corrente presa no pé que fazia o papel de un instrumento de percussao quando batia no chao.  A voz do cara era muito boa e o som que ele fazia também, decidimos ficar ali um tempo e escutar.

As pessoas passavam e jogavam moedas, jogamos algumas também. 

Entre uma musica e outra, Scott pedia aos espectadores que anotassem seu nome e e-mail em um caderno preto, informacoes segundo ele que mais tarde seriam usadas para ele divulgar seus shows.  O nosso nome entrou na lista.

Achamos ele no MySpace, quem quiser escutar, clique aqui.

E olha ele la em frente ao metro, tocando Billy Jean do Michael Jackson.

 

Scott Dunbar é um cantor e compositor mas se define como um one man band. Ele vem de Prince George, British Columbia e se mudou para Montréal para, segundo suas proprias palavras, “figure out what it’s all about”.  

Achei bem interessante tudo aquilo. Foi do caralho ver um musico mostrando seu trabalho em seu ceu aberto, despido de qualquer  julgamento, vivendo daquilo, so querendo ser escutado.

Me fez sentir bem e humano

 

 

Feio, sujo e mal

Posted in Dirty Sheep Confessions with tags , on May 19, 2009 by gugagessullo

Bukowski é foda. Um dos meus herois pessoais. E o Ronnie, que tem jeito e alma de Bukowski, me mandou este video muito bom sobre ele. Decidi postar, vale a pena ver. Logo abaixo do texto.

 

Bukowski nao é o apenas o velho sujo, bebado e safado. Ele é a reflexao da repulsa, do nojo, do ódio, do amor, da paixão e da melancolia. Sua obra é obscena, simples, coloquial, fala de trabalhos braçais, porres e relacionamentos baratos. Ele mesmo tinha um trabalho comum nos Correios, queria ser reconhecido como escritor. Foi e nao foi. Descobriu John Fante. Bukowski nao tinha censura. Vivia atormentado, totalmente fora dos padrões impostos pela sociedade de sua época. Cada vez mais dou valor aos atormentados. Sao os mais interessantes, os que largam o dedo para quem for, que pensam e que falam na cara. Os que morrem bebados e loucos porque nao aceitam fazer parte da engrenagem. É dificil ser Bukowski o dia todo, mas é necessario tentar ser Bukowski durante a vida. Pelo menos um pouco por dia.

 

Poema dos meus 43 anos

(Henry Charles Bukowski)

 

Terminar sozinho
no túmulo de um quarto
sem cigarros
nem bebida
careca como uma lâmpada,
barrigudo
grisalho
e feliz por ter
um quarto.

 

De manhã
eles estão lá fora
a ganhar dinheiro:
juízes, carpinteiros,
canalizadores, médicos,
jornaleiros, guardas,
lavadores de carros, barbeiros,
dentistas, floristas,
cozinheiros, taxistas

 

e tu viras-te
para o lado esquerdo
para apanhar sol
nas costas
e não nos olhos.

 

Sarau indie

Posted in Dirty Sheep Music with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on May 18, 2009 by gugagessullo

darkSaiu recentemente a coletânea Dark Was the Night. A compilação é um projeto da Red Hot Organization, uma entidade de caridade international que viabiliza coleta de fundos para o HIV.

O projeto foi produzido por Aaron e Bryce Dessner da banda The National e junta uma legião de artistas indies em dois Cds. Entre solos e duetos, as faixas mais interessantes são sem dúvida os duetos. Entre elas, eu indico ferozmente as faixas de Cat Power + Dirty Delta Blues, Feist + Ben Gibbard (vocalista do Death Cab for Cutie), Justin Vernon (do Bon Iver) + Aaron Dessner e ainda Antony (do Antony & The Johnsons) + Bryce Dessner (The National).

Dos solos você vai ter mais do mesmo, ou seja, boas bandas fazendo bem o que se conhece delas, nada de muito novo. Mas tem muita coisa boa: Bon Iver, Beirut, Arcade Fire, Iron & Wine, The New Pornographers, The Decemberists, Spoon, Yo La Tengo, Sufjan Stevens, Grizzly Bear e mais.

Eu recomendo, mas como todo sarau indie, às vezes dá um pouco no saco. É um CD pra se escutar e sair pedindo algo mais acelerado, com velhas guitarras sujas.

Opinião da ovelha suja

A melhor do disco : Bracket, WI de Bon Iver (e não é um dueto!).

E o bambu?

Posted in Dirty Sheep Loves it! on May 18, 2009 by gugagessullo


A ONDA

Posted in Dirty Sheep Cinema with tags , , , on May 17, 2009 by gugagessullo

Tinha escutado sobre este filme há um tempo atrás, mas esqueci. O Rafa me lembrou dele hoje, pois vai sair nos cinemas no Brasil.

 

“A Onda” (Die Welle) é um filme alemão baseado em uma experiência real que ocorreu em uma escola secundária nos EUA, em 1967. Nela, o professor quis explicar como a experiência nazista pode ter acontecido na Alemanha com a aprovação da maioria da população. Ao invés de explicar, resolveu usar a sua sala de aula para uma demonstração de como as pessoas abandonam suas próprias convicções para fazer parte de um grupo que as faz sentirem-se “especiais”.

 

A diferença com a experiência nos EUA é que  no filme o professor acaba também envolvido pelo aparente poder e fidelidade canina que seus alunos o devotam. No original, o professor tem total controle do experimento e sabe exatamente onde quer chegar.

 

Segue aqui o trailer.

 

Bacalhau com vinho do porto

Posted in Dirty Sheep Music on May 17, 2009 by gugagessullo

É meu amigo, bacalhau com muito vinho do porto também dá um bom rock.

Direto da terrinha, BORN A LION.

15 anos e muita voz

Posted in Dirty Sheep Loves it!, Dirty Sheep Music on May 16, 2009 by gugagessullo

Vince Mira foi descoberto tocando Johnny Cash nas ruas de Seattle. Acabou gravando um CD em homenagem a Cash e hoje faz shows por aí. Ele vai estar lá no badalado Austin City Music Festival ao lado de Pearl Jam, Bon Iver, Artic Monkeys…

Impressionante. 15 anos e muita voz.

Seria legal ver ele gravando músicas próprias, vamos aguardar.

IMAGEM DO DIA

Posted in Dirty Sheep Loves it! with tags , , on May 15, 2009 by gugagessullo

mercenarios_07

Land of talk

Posted in Dirty Sheep Loves it! with tags , on May 15, 2009 by gugagessullo

Banda de Montréal…

Que, aliás, segundo boatos, dizem ser a nova Seattle.

Boa música pra começar uma sexta.

Sangue em “Sede”

Posted in Dirty Sheep Cinema with tags , , , on May 14, 2009 by gugagessullo

Eu postei dias atras sobre o mesmo filme, veja aqui 

Mas alguns tem a sorte de estar em Cannes.

Para intensificar ainda mais o desejo de ver este filme, para dar mais sede.

 

THIAGO STIVALETTI
Colaboração para o UOL, de Cannes

 

Quentin Tarantino deveria ter chegado mais cedo em Cannes. Ele iria vibrar com o novo filme de Park Chan-wook, diretor do genial “Oldboy”, Prêmio do Júri aqui em Cannes e grande sucesso no Festival do Rio e na Mostra de São Paulo, disponível em DVD.Não é o menor dos seus méritos fazer um filme original de vampiro quase 90 anos depois do “Nosferatu” de Murnau.

 

O padre Sang-hyun decide servir de cobaia para uma nova vacina. Contrai uma doença grave, morre, mas é ressuscitado por uma misteriosa transfusão que o transforma em vampiro.

 

Ao voltar pra casa, apaixona-se por Tae-jun, mulher de um amigo de infância. O coitado, que já tinha que enfrentar as limitações do celibato católico e frear seus desejos carnais, agora tem que lutar contra sua sede de sangue – e a vontade de morder Tae-Jun.Mas a moça não é boazinha como parece, e logo envolve o padre (ou ex-padre) em uma trama pra matar o marido.

 

Em breve, ela será uma vampira do mal – e Sang-hyun, apesar de apaixonado, vai ter que impedir que a louca promova um banho de sangue sem precedentes, mordendo todos os pescoços que lhe cruzam o caminho.

 

São cenas de tirar o fôlego, com direito a uma sogra catatônica que assiste muda a metade do massacre, o fantasma do marido literalmente no meio das cenas de sexo, muita violência gráfica e um final apoteótico.

 

Chan-wook não tem medo de quebrar todas as regras morais pra construir as cenas mais ousadas – e ao mesmo tempo muito engraçadas. Não é para todos os gostos, mas certamente merece estar na Competição. “Sede” certamente vai estar nos festivais do Rio e de São Paulo – não perca.