Archive for October, 2009

Sobre finais épicos…

Posted in Dirty Sheep Loves it! with tags , on October 29, 2009 by gugagessullo

Cena final do The Devil Rejects, filme do Rob Zombie sequência de The House of 10000 Corpses. Não são muito fã dos filmes dele, mas as trilhas são sempre boas e ele tem a mão pra fazer umas cenas iradas. Olha isso. A música é Free Bird do Lynyrd Skynyrd.

Alias, fechar um filme com finais assim não é pra qualquer um, como Clube da Luta por exemplo. Quem lembrar de algum final épico, escreve ou envia aqui.


Mais uma música que toca no filme, Terry Reid – Seeds of Memory

Reflexao do dia

Posted in Dirty Sheep Loves it! with tags , on October 28, 2009 by gugagessullo

 

Eu tinha talento, tenho talento. Às vezes olhava minhas maos e compreendia que podia ter sido um grande pianista. Mas o que tinham feito minhas maos ? Coçado o saco, preenchido cheques, amarrado cardarços, puxado descargas de banheiro etc. Desperdicei minhas maos. E minha mente.

 

Charles Bukowsky – Trecho do livro Pulp.

9782246501411

Na lomba

Posted in Dirty Sheep Loves it! on October 27, 2009 by gugagessullo

TIRA

Moon

Posted in Dirty Sheep Cinema with tags , , on October 27, 2009 by gugagessullo

 

 

Porque sempre os melhores filmes do ano ficam tão pouco tempo no cinema? É o caso de Moon, a estréia de Duncan Jones, filho de David Bowie na direção. É um filme de um ator só – Sam Rockwell (Confissões de uma mente perigosa, Choke, Os Vigaristas) numa atuação sensacional à la Tom Hanks em Naufrago. Quer dizer, quase um filme de um ator só pois Kevin Spacey empresta sua voz ao robô sentimental que acompanha o personagem principal.

 

 

O filme é uma ficção cientifica que faz parte de um projeto de trilogia de Duncan Jones, um aficcionado por George Orwell e Philip K. Dick (David Bowie fazia Duncan ler os livros dos dois quando era pequeno antes de dormir). Isso não é um spoiler, o trailer abaixo conta um pouco a mesma coisa: Sam é um astronauta numa base lunar de propriedade de uma empresa que extrai uma nova forma de energia para a Terra, o Hélio 3 (que a Nasa já inclusive tem projetos reais para isso). O contrato dele é de 3 anos e Sam esta a 2 semanas de voltar para casa, para sua esposa e para sua pequena filha. Já não aguenta mais a solidão, anda irritado, falando sozinho. E numa de suas missões diárias, ele encontra um automóvel que bateu perto de uma das estações lunares. Dentro do automóvel, ele econtra ele mesmo. E a partir dai, a história começa a se complicar. Vou até aqui, o resto é pura emoção. Um filmaço, não só pela interpretaçao de Sam Rockwell como pela idéia central e pelas idéias subjetivas por tras de tudo. Um dos melhores de 2009.

 

Octopus in Love

Posted in Dirty Sheep Loves it! with tags on October 26, 2009 by gugagessullo

 

Uma boa animaçao para començar a semana.

Risadinhas :)

Posted in Dirty Sheep Loves it! with tags , , on October 24, 2009 by gugagessullo

Você já parou para se perguntar se aquele seriado é realmente engraçado ou se você é forçado a rir? As famosas risadinhas depois de uma cena engraçada têm um poder incrível, veja só esta cena de Friends abaixo sem essas famosas muletas.

Elas fazem até o Taxi Driver e O Iluminado parecerem comédia.

Imagina então a Turma do Didi sem as risadinhas…

Phoenix

Posted in Dirty Sheep Loves it! with tags , on October 24, 2009 by gugagessullo

Ok, ok, o meu gosto musical vem sendo discutido comigo mesmo ultimamente. Algumas coisas indies vem entrando no repertório do meu dia-a-dia. Essa música é do Phoenix, uma banda francesa que canta em inglês, famosa no início dos anos 2000 e que voltou agora com um bom álbum. Essa música me chamou a atenção através de um comercial do novo Cadillac. O que me fez gostar dela? O riff inicial e o refrão.  E olha que demais como o baterista pira no som. Escutem aí.

No DVD do ovelha

Posted in Dirty Sheep Cinema with tags , , , , , , on October 22, 2009 by gugagessullo

 

romanClaude Lelouch é um icone entre os cinéfilos. Eu assisti muita pouca coisa dele e ainda não tenho opinião formada sobre o assunto, mas Roman de Gare começa a mudar o cenário…É excelente. Um filme que começa e termina totalmente diferente, que consegue te prender a cada minuto pela ótima história e pelos ótimos atores. Uma hora você acha isso, outra hora acha aquilo. Lelouch fez um roteiro tão brilhante que ele brinca com o expectador, usando truques geniais de história dentro da própria história para construir um suspense quase interminável, que só se revela a minutos finais do fim. Dominique Pinon, que fez Amélie Poulain, rouba o filme por completo. Só deixa a beleza para a atriz Audrey Dana. Bela indicação do Ronnie e da Cris. É baaaaum!  

wild thingsSpike Jonze demorou 5 anos para fazer este filme. O resultado explica. Baseado na obra infantil de Maurice Sedack de 1963 que virou livro clássico mesmo após as criticas de conservadores da época, Where The Wild Things Are é simples e complexo ao mesmo tempo. Assim como o livro, cheio de ambiguidades e pura psicologia. Segundo o próprio diretor, não é um filme apenas para crianças. Eu diria que não é para crianças. Apesar dos monstros e dos efeitos excelentes, é um filme que tem que mastigar um pouco. A trilha é outro show a parte. Como todos nós, Max foi a floresta visitar as suas criaturas selvagens, oque é sempre belo e assustador ao mesmo tempo. O diretor de Quero ser John Malcovich e Adaptaçao fez um novo classico. E que fique mais 5 anos para lançar seu próximo filme.

 

 

valentinoPoucos filmes me irritaram tanto na vida como este documentário sobre a historia do estilista Valentino, o Clodovil italiano. O documentário conta a história da decisão de Valentino de se aposentar, com flashbacks de sua trajetória e o crescimento de seu império. O documentário tentou se salvar quando fala da transformação do mundo da moda, de como o mercado cresceu e o que se trasformou, mas isso são 5 minutos do filme. O resto é uma chupação de saco sem precedentes do Valentino e de como o cara se acha um Deus que tem todos seus desejos e caprichos atendidos pelo nome que construiu. E vou mais além. O filme é uma prova evidente de como o mundo consegue ser tao fútil, de como se dá atenção à coisas tão superficiais. Deprimente, triste. Sai mal.

 

 

hangoverFui com a expectativa grande, amigos, familia, todos haviam me falado maravilhas sobre The Hangover. “É tipo, Quem Vai Ficar com Mary”. “É risada do começo ao fim”. Não, não é. É um bom filme de comédia que tem os seus momentos. O melhor do filme, fica para os créditos finais onde aparece as fotos do que se passou na fatidica noite em Las Vegas. Os personagens são bons, mas faltou explorar mais cada um deles. O doido barbudo paranóico, por exemplo, que começa o filme a todo vapor, tirando boas risadas, mas se perde e é esquecido do meio ao fim. Aliás, palmas para o ator Ed Helms, esse sim foi o astro do filme. O lance do dente quebrado foi excelente. O diretor Todd Philips, o mesmo do excelente Starsky & Hutch, não conseguiu transformar The Hangover num classico. E tinha potencial.

 

 

trouveO cinema francês adora criticar Hollywood e seus formatos, mas Je vous trouve très beau é um filme americano. Uma tradicional comédia romântica com velhos clichês. Mesmo assim o filme tem seus bons pontos. É menos ludico e mais frio que uma comédia ao estilo Sandra Bullock, as piadas são mais inteligentes e ainda rola umas boas criticas mesmo que superficiais. O destaque vai para Michel Blanc, o ator principal e uma espécie de Stênio Garcia francês. A bela atriz romena Medeea Marinescu ajuda a deixar o filme bem simpático. Afinal, eu diria que valeram os 97 minutos de filme.

Cagar Pelado

Posted in Dirty Sheep Originals on October 22, 2009 by gugagessullo

 

Provavelmente você conhecesse alguém que caga pelado. Todo mundo conhece alguém que caga pelado, mesmo que você ainda nao saiba disso. Ao contrario do que se possa pensar sobre cagar pelado, saiba que é uma pratica muito comum entre nos, seres humanos. Eu ja havia escutado historias de pessoas que cagavam peladas, a primeira vez veio de um amigo, que me disse que seu primo so conseguia cagar sem roupa, mesmo no trabalho, entrava, pendurava suas roupas, cueca e meias e sentava no trono. Mais tarde veio o meu primeiro contato com alguém que praticava cagar pelado, foi no meu emprego anterior. Senti a bexiga pontar e fui pro banheiro dar aquela mijada rotineira entre tantas num dia de trabalho. Naquele dia nao quis usar o mictorio, queria uma mijada privativa e entao fui logo abrindo a porta de uma das cabines. « Ei ! », escutei um grito. Jah era tarde demais, a porta estava escancarada e vi pela primeira vez um homem que a menos de trinta minutos atras trajava um terno bem alinhado numa reuniao sobre processos ou algo assim, nu em pêlos, a roupa pendurada no cadide da porta, ficou desmoralizado ao me ver, cabisbaixo, culpado, como uma criança que aprontou feio e sabia disso. Nossa relacao se abalou depois disso, nunca mais conseguimos ser os mesmos um com o outro. Quer dizer, tudo parecia normal na fachada, quando nos encontravamos pelo corredor , numa reuniao, mas agora eu sabia de um segredo dele e ele sabia que eu o sabia. O problema é que o peladao era um estagiario. Sorte a minha seria pegar um gerente, um diretor ou até o presidente pelado com a bunda suja e as roupas penduradas. Imaginem o poder inconsciente que se cria a partir disso. Um cara desse nunca pode te demitir, nunca pode te ridicularizar numa reuniao, nunca pode abusar do poder com você. Um ato tao basico e natural do ser humano pode ser um cruel fardo na corporaçao.

 

Jah é um pouco estranho pensar quando você esta cagando no espediente que uma simples parede separa você do mundo da empresa. Pessoas passam do outro lado do muro, correndo, indo para reunioes, discutindo projetos, discutindo banalidades que seja, e você ali com as calças arriadas do seu lado do muro. E entao agora quando eu passava pelo lado da parede que nao se caga, correndo para uma reuniao,  imaginava sem parar que podiam ter pessoas nao so cagando do outro lado, mas peladas ! Isso começou a ficar frequente no meu dia-a-dia e eu levei a paranoia para fora da empresa. Onde quer que houvesse um banheiro e uma pessoa dentro, eu imaginava que ali ela pudesse estar cagando, apostava comigo mesmo se aquela pessoa em particular tinha perfil de cagar pelado ou com roupa. « E entao, o que você acha afinal, essa mina ai tem jeito que caga de roupa, nao ? » « Olha la o barbudo que entrou, certeza que ele caga pelado ». No trabalho, eu e meus amigos comecamos a nos indagar quais pessoas cagavam com roupas e quais cagavam peladas. Fizemos uma lista.  Fiquei imaginando o superman com seus olhos raio x, talvez por isso que herois nao existam no nosso mundo, por tras das paredes as pessoas estao sempre cagando, com ou sem roupas.

The Henry Clay People

Posted in Dirty Sheep Loves it! with tags , on October 19, 2009 by gugagessullo

Você gosta the The Hold Steady ?

The Henry Clay People é tipo o seu irmão mais novo, rock clássico, muito bom ao vivo.

Basicamente, uma banda honesta e que bota pra quebrar quando o lance é subir no palco. Daquelas bandas que parece só querer se divertir.

E aqui, uma do The Hold Steady