Archive for February, 2010

imagem do dia

Posted in Dirty Sheep Loves it! with tags on February 28, 2010 by gugagessullo

Mumford & Sons

Posted in Dirty Sheep Loves it!, Dirty Sheep Music with tags , on February 27, 2010 by gugagessullo

Continuando a minha saga musical atual, aqui vai uma banda que chamou muito minha atenção. São os ingleses do Mumford & Sons, acabaram de lançar o álbum Sigh no More que alias é o nome da música que coloco abaixo. Vale a pena escutar The Cave também, aliás vale a pena escutar o álbum todo. Para aqueles que sentem saudades do que o Dave Matthews Band fazia…

Apostas

Posted in Dirty Sheep Music with tags , on February 26, 2010 by gugagessullo

Duas boas novidades. Uma é o Soft Pack, a banda americana mais celebrada do momento, comparada com Strokes. E a outra é Marina $ The Diamonds, que vem lá do País de Gales inspirada em Kate Bush, se bem que sua voz me lembrou a Imogen Heap com Tori Amos, não? Olha a voz dela que legal, de vez quando o pop tem umas coisas interessantes…


Atores falando de atores

Posted in Dirty Sheep General with tags , on February 23, 2010 by gugagessullo

Bitter earth

Posted in Dirty Sheep Music with tags , , , , on February 22, 2010 by gugagessullo

Shutter Island, filme de Martin Scorcese baseado no livro Paciente 67 de Dennis Lehane. Excelente. Não li o livro, meu irmão leu e tinha insistido para que eu lesse, vacilei pois acho que valia muito a leitura antes de ver o filme. Pensei que se tratava de um thriller, é muito mais, é triste e duro.

A música que toca no meio e no final do filme resume bem, dá uma escutada. É uma junção de The Bitter Earth de Dinah Washington e On The Nature of Daylight de Max Ritcher. Mais abaixo, a versão original de Dinah Washington, bem diferente.

This bitter earth 
Well, what fruit it bears 
What good is love 
mmmm that no one shares 
And if my life is like the dust 
oooh that hides the glow of a rose 
What good am I 

Heaven only knows 
 
Lord, this bitter earth 
Yes, can be so cold 
Today youre young 
Too soon, youre old 
But while a voice within me cries 
Im sure someone may answer my call 
And this bitter earth 
Ooooo may not 
Oh be so bitter after all 

Nova do buraco

Posted in Dirty Sheep Music with tags , on February 20, 2010 by gugagessullo

Gosta ? Eu gosto.

People like you SUCK people like me, muito bom!

Frango de ganja não dorme.

Posted in Dirty Sheep Originals with tags , , , , on February 20, 2010 by gugagessullo

Frango de granja não dorme. A luz fica acesa dia e noite na cara, o bicho estressa e come, come sem parar. Se dorme ou senta, é acordado. E o estresse intoxica a carne. Dizem até que cortam o bico do frango pra entrar mais comida. Luz acesa e bico cortado. E fica gordo, do jeito que o homem gosta, uma vida inteira para satisfazer o apetite do outro. Isso quando o frango tem sorte, os pintinhos que nascem defeituosos, mancos, com alguma doença, que não atendem os padrões de qualidade, estes são colocados em uma máquina que os tritura vivos. A máquina mói e o que era vida vira ração. E a galinha? Bota ovo sem parar, o dia inteiro, indizuda por hormônios e máquinas.

E um dia o frango e galinha saíram da granja, escaparam de mãos dadas, saíram correndo, batendo asas, doidos de felicidade. Demoraram um pouco, mas voltaram a dormir de noite, comiam quando dava fome, a galinha botava ovo quando ela queria. Tiveram muitos pintinhos e os que nasceram meio tortos continuaram ali com eles, não havia mais padrão de qualidade, máquina de moer. A família cacarejava de prazer, gozava da liberdade, uma coisa bonita de se ver. Mas fora da granja não era assim tão simples, os dias passaram e a verdade começou a mostrar sua cara. Tinha lobo, raposa, cachorro, muito bicho com fome solto por aí. O frango olhou para a galinha, abraçaram seus pintinhos e chegaram à conclusão mais difícil de todas “Somos comida, não importa onde estamos”. Saíram da granja para serem livres. E eles estavam livres, só não eram livres.

Brasilidade

Posted in Dirty Sheep Loves it! with tags , , , , , on February 18, 2010 by gugagessullo

Excelente texto escrito por Maira Busnardo relatando a folia no Carnaval carioca.

O Carnaval foi muito bom.

Chegamos no RJ na sexta. Adoramos o flat. Ficava na melhor localização do Leblon. Já cheguei com bloquinho na nossa Rua. Tradicional. O bloco do Leblon. demos uma espiada tímida. Voltamos. Esperamos o resto da turma chegar. Chegaram, fomos até lá e ficamos no meio da maior muvuca, mas foi bom.

Acordamos no 2o dia, sábado. Pessoal ligando para saber para qual bloco iríamos. Baixo Gávea. Ano passado foi bom. Esse ano foi melhor. Calor intenso. 1 da tarde. Não pode mais mijar na rua no RJ. qualquer um pego vai preso, o taxista avisou.

Rafael, tenho que ir no banheiro…Fila…Ufa, consegui. Encontra amigos. Pablo bêbado, Gui bêbado, amigas bêbadas, Carlota incrivel-super bêbada. Espera o bloco, pula…OOOO, Aurora…Vou beijar-te agora, não me leve a mal hoje é Carnaval. Rafa, vamos nessa??? Paramos e jantamos perto do flat. Picanha, arroz de brócolis e farofa. Hum… Que delicia, estávamos da 1 da tarde até as 9:30 da noite sem comer. Fomos dormir.

Acorda no domingo. Dia do boi tatá. Mariana me liga, já estava lá desde as 8:30 da amanha e não agüentou a muvuca. Mais de 800 mil pessoas. Será??? Vamos, vai…somos foliões. E jovens, a Isa me lembrava a todo momento! Difícil, mas chegamos até uma sombra. Nenhuma nuvem no céu. Ai como eu queria uma nuvem!!!  Fomos rapidamente informados que quem cantava no palco era ela: TERESA CRISTINA. Ai que lindo! Liguei para Mari, mandei voltar pra lá. Mais tarde, YAMANDU, vestido de Fred (Flinstonnes) adentra o palco. Que forro…Que viola. Tiveram outros grandes cantores, cantando musicas tradicionais de carnaval. Todos os conhecidos ou médio conhecidos completamente loucos e suados se abraçando. Muito bom. Mari e Marcelo vieram encontrar a gente. Adoraram a sombra. Descobrimos como fazer xixi fácil. 2,80 custava a balsa para Niterói. Compra ticket, entra na estação, xixi sem fila, sai e volta rapidinho para não perder mais uma musica. Era gente que não acabava mais. Preta Gil tentou fazer um bloco pago no RJ. Foi proibida pelo prefeito. Carnaval é para todo mundo dançar e pular junto. Pelo menos no RJ é. Mari e Marcelo foram para o Flat. Se queixaram do ape que estavam. Mariana falou que eu estava no palácio e ela na COABE. Pra variar…

Acorda na 2a. DIA DO DESFILE!!!!! No dia do desfile pegamos uma piscina suave no flat, tomamos uns choppinhos no Devassa ali do Leblon, ao lado do flat. Entre uma atividade e outra, ajudamos o Gui a receber as fantasias. 22 fantasias!!! Desce do caminhão, conta, leva tudo até o elevador e aproximadamente umas 35 viagens, contando as 4 pessoas que carregavam foram suficientes para empilhar os 22 resplendores de penas gigantes + 22 coletes para espetar os resplendores, + 22 chapéus gigantes + 22 sacos com a calça, bata, cinturão e uma sandália de brilhos prateada.

A primeira coisa que nos ocorreu foi fugir do pessoal do metro e ir de taxi, depois amolecemos. Descemos até o super mercado embaixo do flat, compramos vodca, energético e começamos a bebericar assistindo ao primeiro desfile da Vila Isabel. Fomos para o apê do Gui, lá já tinham algumas amigas da namorada dele. Também estavam o Pedro, o Kiko e namorada. Bebemos mais um pouco. Nos vestimos. Fotos e risada…

Saímos para pegar um taxi. 3 pessoas p/ taxi. Não cabia os resplendores. Fui na frente, o Rafa e uma amiga da Re (namorada do Gui) foram atrás com 3 resplendores e um montão de plumas cobrindo eles todos. 40 graus no RJ. A noite.

A esta altura, minha blusa ( eu fui de regata até o sambódromo porque sei que o meu suor vale por 4 pessoas) já estava encharcada. Chegamos de taxi até o metro. Tira fantasia do carro. Carrega ate o carro. Conhecemos 2 indianos no metro. Tiramos fotos. Chegamos à Sapucaí. O metro sai logo em frente. Anda até um lugar mais vazio. Xixi. Fudeu. 2 conto para ir na obra ao lado. Enxuga suor. Chegam mais amigos. Chega Keko, fabinho, fefeu…Bebe mais. Fuma. Canta a música da mangueira.  Rafael resolve tirar camisa, calor insuportável. Suando de pingar parado.

Vamos juntar todo mundo e achar o local da ala na avenida. Procura fantasiados semelhantes. Achamos.
Posiciona. E vai…”Meu coração é verde e rosa, descendo o morro, eu voooou…”.

Passamos pela a Avenida. Para mim é sempre uma emoção. Um montão de bandeirinhas gritando para você. Cantando com vc. Alguém disse que esta deve ser a sensação de fazer um gol no Maracanã. Acho que é melhor porque todas as energias são tão positivas.  Olho para todos os lados e vejo conhecidos, cantando, gritando e girando aquele baita esplendor. Este ano, tinha um carro enorme, roxo, bem na nossa frente. Não foi possível ver a avenida toda à frente. Mesmo assim, passou muito rápido. Acabou. Depois de 15 litros de suor e o refrão cantado exaustivamente acabou.

Nos perdemos de todos na saída. Como foi o último desfile, não tinham taxis. A saída misturou o povo das arquibancadas, camarotes, com o pessoal que desfilou. Andamos aproximadamente 20 minutos, carregando tudo. De sandálias da fantasia.Nada de taxi. Viramos a direita e caímos no meio de um outro bloco de Carnaval. Estresse. Eu disse para ficarmos esperando lá!!! Lá não ia ter taxi! Achamos um taxi. Chegamos e tomamos uma ducha antes de finalmente deitar a cabeça e descansar.

No dia seguinte, o melhor bloquinho. Numa pracinha no Jardim Botânico, literalmente fechada por arvores. CALOR, CALOR, CALOR. Aproximadamente 50º graus. Cheguei suando. Faltava energia. Que pena. O bloco se chama “O último gole” e é freqüentado por poucas pessoas em relação aos outros. Você fica parado e só tocam marchinhas. Tinham as mais diversas fantasias. De Carmem Miranda à pessoas vestidas de Taxi, com um carrinho em volta e tal.  Não agüentamos e fomos embora. O Rafa voltou para SP e eu fiquei mais uma noite, e voltei ontem a tarde.

Acabou. O Ano no Brasil começou. Que triste.

Pateta + David Lynch = !

Posted in Dirty Sheep Loves it! with tags , on February 18, 2010 by gugagessullo

Super Bowl

Posted in Dirty Sheep General with tags , , , , , on February 17, 2010 by gugagessullo

Essa é boa. Imagina o Superbowl dirigido por vários diretores.

O do David Lynch é o melhor.