Tem Fogo?

Sai do bar pra fumar um cigarro, essa porra de lei. Bares e fumaça combinam. Levei meu copo comigo e fui para a esquina, acendi o cigarro com aquele gosto mágico que a bebida te dá, combinação dos deuses, o melhor cigarro de todos.

– Oi… – uma voz de mulher cutucou meus sentidos. Me virei e uma mestiça linda pairava com um cigarro entre os dedos. – Tem fogo? – Acendi seu cigarro e por alguns mínimos segundos a labareda do isqueiro me deixou ver sua beleza quase que incontrolável, tinha olhos puxados, verdes, um nariz fino e macio, os cabelos lisos caiam sobre a testa, uma bela foda. Colocou o cigarro na boca e o aproximou da chama, sugando-a. A ponta se acendeu. A chama se apagou e voltamos a ser aqueles velhos desconhecidos. Aquele momento se repete sempre, duas pessoas que nada sabem uma da outra e por alguns segundos se tornam íntimas, quase tocam as mãos, respiram o mesmo ar, dividem do mesmo prazer, mal sabia ela que a desejei intensamente enquanto pude.

– Você não acha estranho? – ela perguntou depois de umas duas tragadas.

– O que?

– A situação toda, essa coisa de fumantes, estamos ligados de certa forma, não?

– Estava pensando na mesma coisa. Eu não sei nada sobre você, você não sabe nada sobre mim e fomos íntimos por alguns milésimos de segundos. – Ela riu e tragou mais uma vez. Eu ri de volta.

– Você poderia ser o homem da minha vida e eu nunca saberia.

– Ou um assassino louco que acaba se escolher sua próxima vítima – e rimos juntos, meio sem graça, meio que se flertando.

– Pois é – ela disse – Ou quem sabe eu fui contratada para te matar.

– E você foi? – me aproximei dela com os olhos incandescentes de tesão. E de esperança. – Às vezes o matador sou eu. – ela balançou a cabeça achando graça do que eu tinha dito. Deu uma última tragada e jogou o cigarro no chão, pisou e esmagou a bituca.

– Foi um prazer.

– O prazer foi meu. – E era a mais pura verdade, eu tinha acabado de comer aquela mestiça com meus mais profanos pensamentos. Ela sabia disso. Puxei outro cigarro do maço e escutei outra voz no meu cangote.

– Tem fogo?

One Response to “Tem Fogo?”

  1. Clarence L'inspecteur Says:

    Ô cabeção! Agora me manda o manuscrito que eu quero mais. Mais, mais!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: